mask for prevention of respiratory diseases, with the American flag painted. US pandemic concept. North america corona virus, risk of epidemic.
(RHJ/Getty Images)

SÃO PAULO – Os movimentos MBL (Movimento Brasil Livre) e Vem Pra Rua lideram protestos que acontecem neste domingo na Avenida Paulista, em São Paulo, a favor do impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Além de São Paulo, estão previstos atos em 15 capitais ao redor do país.

Vale lembrar que o MBL e o Vem Pra Rua mobilizaram, anos atrás, parte de manifestações antagônicas à esquerda, como o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), por exemplo. Mas para este domingo a ideia é organizar protestos de caráter apartidário, com os manifestantes usando branco.

Inclusive, os protestos foram reforçados pela adesão de centrais sindicais e do PDT de São Paulo. Porém, partidos como o PT e o PSOL não participam dos protestos deste domingo e estão se organizando em outra campanha paralela – também a favor da saída de Bolsonaro.

ameaças contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e ataques ao ministro Alexandre de Moraes – veja aqui uma análise sobre os impactos para o mercado e agenda política. 

Porém, na última quinta-feira (9), o presidente recuou ao divulgar uma nota em que diz não ter tido intenção de agredir “quaisquer dos outros Poderes”, em uma tentativa de reduzir a fervura da crise institucional.

O nota foi publicada após Bolsonaro se reunir com o ex-presidente Michel Temer (MDB), conhecido por sua habilidade de articulação política e responsável pela nomeação do ministro Alexandre de Moraes ao Supremo Tribunal Federal, em 2017.

O InfoMoney explicou o movimento em reportagem recente. 

*Com Agência Estado

Receba o Barômetro do Poder e tenha acesso exclusivo às expectativas dos principais analistas de risco político do país

Fonte