Brazilian currency
(Pollyana Ventura/Getty Images)

SÃO PAULO – O aumento do risco político e fiscal, acompanhado de revisões para baixo nas projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), de maiores pressões inflacionárias e da alta dos juros abalou os mercados de risco no último mês. O impacto foi sentido também nos fundos de ações.

É isso o que mostra o levantamento feito pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Segundo relatório mensal de agosto divulgado nesta quarta-feira (8), os fundos de ações tiveram mais resgates do que depósitos em agosto, registrando captação líquida negativa de R$ 176,1 milhões no mês, e interromperam sequência de saldos positivos (com mais aplicações do que saques) que vinha desde fevereiro deste ano.

De acordo com o documento, o desempenho negativo do Ibovespa, que recuou 2,48% no mês passado e ficou no campo negativo no acumulado de 2021, ajudou a impactar o resultado dos fundos de ações.

conheça o Expert Pass

Fonte