ETFs

SÃO PAULO – Na próxima segunda-feira (19), a XP lança mais um ETF de renda variável, que dará ao investidor exposição às ações small caps da Bolsa. A proposta do novo fundo de índice é seguir a variação do índice de small caps da B3 (SMLL).

O produto, que será negociado sob o código “XMAL11”, terá cota inicial de R$ 10 e taxa de administração de 0,30% ao ano. Hoje o investidor já tem à disposição na Bolsa os ETFs SMALL11, da BlackRock, e o SMAC11, da Itaú Asset, que também se propõem a seguir o índice de small caps da Bolsa e têm taxa de administração de 0,50% ao ano.

No acumulado do ano, o SMLL, que acompanha o desempenho das ações de menor capitalização da Bolsa, sobe 10,1%, acima da valorização de 5,8% do Ibovespa. Em cinco anos, as altas são de 187,3% e 126,6%, respectivamente.

Mercado de ETFs aquecido

três ETFs que acompanham os ativos digitais. As duas são responsáveis pelos dois ETFs de criptoativos que já estão à disposição hoje na Bolsa.

Além disso, na última quinta-feira, estreou na B3 um ETF da Itaú Asset que busca seguir um benchmark cuja proposta é identificar as empresas mais engajadas com a transição para uma economia verde. A fabricante de carros elétricos Tesla é a maior posição no fundo de índice.

No fim de junho, a XP também já havia lançado um ETF que acompanha a variação dos principais mercados emergentes asiáticos.

Com as movimentações recentes mas sem considerar os lançamentos previstos, o investidor tem hoje à disposição 38 ETFs de renda variável na B3, com estratégias que versam por temas diversos, como criptomoedas, fundos imobiliários, ouro, tecnologia nos Estados Unidos e bolsas globais regionais da Ásia e da Europa.

Há ainda outros sete ETFs de renda fixa, todos dedicados ao mercado local.

Quer entender o que é o mercado financeiro e como ele funciona? Assista à série gratuita “Carreira no Mercado Financeiro” e conheça o setor da economia que paga os melhores salários de 2021.

Fonte