(Getty Images)

SÃO PAULO (Reuters) – Os preços do dólar e das taxas de juros não estão tão distantes de onde deveriam, mesmo considerando o elevado prêmio de risco em ambos, já que a aguda incerteza sobre o futuro das contas públicas continua a desafiar elaboração de cenários e desestimula grandes posições estruturais nesses mercados, disse Bruno Marques, sócio e gestor dos fundos multimercados macro da XP Asset.

O dólar estava nesta sexta-feira em torno de 5,61 reais, e várias casas de análise dizem que o real ou é ou está entre as moedas mais baratas do mundo. E no mercado de DI os juros de longo prazo já se aproximam de dois dígitos, muito distantes da taxa de 2,75% da Selic atual.

“A situação do governo não é fácil. Temos visto um governo frágil e flertando com medidas não responsáveis, diria”, afirmou o gestor. “Chamam atenção a completa falta de urgência de que temos um problema fiscal muito grande e o flerte constante com o abismo.”

Fonte