Petrobras
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Eleito na última segunda-feira, por meio de voto múltiplo, como conselheiro independente da Petrobras (PETR3; PETR4) pelos acionistas minoritários, Marcelo Gasparino renunciou ao cargo durante a reunião do Conselho de Administração da estatal nesta sexta-feira (16).

O encontro de hoje serviu para eleger o general Joaquim Silva e Luna como novo presidente da petrolífera, além de quatro novos diretores.

A notícia da renúncia de Gasparino não é uma surpresa, já que ele havia demonstrado sua intenção logo após ser eleito conselheiro criticando o processo de escolha dos conselheiros, que foi bastante tumultuado.

disse Gasparino, em entrevista ao Estadão há alguns dias. Essa decisão, diz ele, foi tomada para contribuir para o desenvolvimento da governança corporativa no País. Em sua visão, o sistema de voto a distância no Brasil dificulta a participação de minoritários no sistema de voto múltiplo.

Pelas regras da companhia, quando um conselho é formado a partir do voto múltiplo, como ocorreu neste caso, a renúncia de um só membro provoca a necessidade de um novo pleito.

Em comunicado informando o pedido de renúncia de Gasparino na noite desta sexta, a estatal pontuou que as regras de seu estatuto social definem que, em caso de vacância do cargo de conselheiro eleito por voto múltiplo que não seja decorrente de destituição, o cargo poderá ser preenchido por substituto eleito pelo colegiado até que seja realizada uma próxima Assembleia Geral de Acionistas.

“Essa Assembleia deverá proceder à eleição dos oito membros do Conselho eleitos por voto múltiplo, não havendo obrigatoriedade de convocação de Assembleia específica pela companhia para esse fim”, afirmou.

(Com Reuters)

Quer entender o que é o mercado financeiro e como ele funciona? Assista à série gratuita Carreira no Mercado Financeiro e conheça o setor da economia que paga os melhores salários de 2021.



Fonte