Fleury (divulgação)

SÃO PAULO – A temporada de resultados do segundo trimestre segue agitando o mercado na noite desta quinta-feira (30). Além do destaque da Petrobras, que registrou um prejuízo de R$ 2,7 bilhões entre abril e junho, outras três companhias apresentaram seus balanços, confira:

O grupo de medicina Fleury teve prejuízo de R$ 73,3 milhões no segundo trimestre, revertendo o lucro de R$ 72,6 milhões apresentados um ano antes. O resultado foi afetado pela forte redução das atividades das clínicas diante do isolamento social.

“Com as restrições impostas pela Covid-19, as consultas médicas eletivas apresentaram redução relevante, principalmente, no estágio inicial da pandemia”, afirmou a companhia.

Já o Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização) ficou em R$ 19,6 milhões entre abril e junho, queda de 90,7% ante o mesmo período de 2019.

Enquanto isso, a receita líquida caiu 37,6%, para R$ 454,9 milhões, puxada pela redução anual de 36,9% dos atendimentos, para cerca de 800 mil, e de 48,9% no de exames, para 6,2 milhões.

Em um outro comunicado divulgado nesta noite, a Fleury anunciou a compra de 18,6% da Prontmed, que faz dados clínicos por meio de prontuários eletrônicos, e 1% da Sweetch, startup israelense de prevenção e gerenciamento de doenças crônicas, sem revelar valores.

A elétrica Engie Brasil registrou lucro líquido de R$ 765,8 milhões no segundo trimestre, uma alta de 98,7% sobre o mesmo período do ano passado.

Segundo a companhia, os números foram positivamente impactados por fatores como o aumento da capacidade instalada e do preço médio líquido de venda, a maior quantidade de energia vendida e efeitos não recorrentes relacionados ao ganho de ações judiciais e indenizações.

Já o Ebitda da empresa ficou em R$ 1,43 bilhão, avanço de 36,1% em um ano, enquanto a receita operacional líquida teve alta de 23,4% na mesma base, a R$ 2,69 bilhões. A dívida líquida, por sua vez, caiu 5,3%, para R$ 10,77 bilhões.

A empresa citou ainda um ganho de equivalência patrimonial sobre o lucro da Transportadora Associada de Gás (TAG). A Engie Brasil e a canadense CDPQ adquiriram fatia de 90% da Petrobras na TAG no ano passado, e anunciaram em julho um acordo para a aquisição dos 10% restantes.

A construtora Even teve lucro líquido de R$ 26,8 milhões no segundo trimestre, uma alta de 21,8% ante os R$ 22 milhões apresentados um ano antes.

Enquanto isso, a receita líquida de vendas e serviços caiu 37% na mesma base de comparação, para R$ 374,4 milhões, por conta do baixo volume de lançamentos entre abril e junho.

Já o Ebitda ajustado somou R$ 57,7 milhões, enquanto a margem Ebitda ajustada cresceu 1 ponto percentual, para 15,4%.

A carreira que mais forma milionários: conheça o primeiro MBA do Brasil totalmente dedicado ao mercado de ações



Fonte